Pasta de Linhaça

Ás vezes queremos fazer alguma receita, que normalmente possui ovos, e não sabemos como podemos substituí-los, para que a receita dê certo.

Com a função de dar a “liga” em receitas veganas, podem ser utilizadas raízes cozidas, como batata, mandioca, batata doce etc. Também pode-se usar a  banana amassada, biomassa da banana verde ou também a semente de linhaça moída em água, que fica tipo uma pasta. Quer aprender? Vamos te ensinar a fazer, é bem facinho, olha só:

Você vai precisar de 1 copo de 180ml de água + 3 colheres de semente de linhaça. Bata no liquidificador ou processador, até formar uma pasta. Essa quantidade pode substituir até 2 ovos em receitas.

Posso ser vegetariano?

 

 

Seja por ideologia ou por opção de consumo, cada vez mais pessoas estão optando por uma alimentação mais restritiva, excluindo carnes e também produtos de origem ou que tenham sido testados em animais da sua dieta. O Brasil ocupa o segundo lugar no mundo na quantidade de pessoas que optam por não comer carne.
Uma pesquisa realizada pelo Ibope em 2012 detectou que 9% da população brasileira é vegetariana, ou seja, aproximadamente 19 milhões de pessoas.

 

Uma alimentação vegetariana se for saudável, supre praticamente todas as necessidades nutricionais. As vantagens desse tipo de alimentação são o menor risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, câncer e complicações intestinais.

 

Explorar alimentos ricos em proteína vegetal, como a soja- na forma de tofu, tempê ou missô, arroz e feijão, quinua, amaranto, oleaginosas e sementes é primordial para uma dieta de sucesso. Dar atenção aos alimentos ricos em ferro, como leguminosas, flocos de cereais como a aveia, semente de abóbora, açaí e vegetais como brócolis, acelga e repolho, completa a lista de observação.  O ferro de origem vegetal é mais bem absorvido se for consumido com alimentos fontes de vitamina C, como brócolis, couve, folhas de inhame e mostarda, pimentão (principalmente amarelo) e frutas como caju, goiaba, manga, laranja, limão e mexerica.

 

A vitamina B12 pode ser encontrada em raros alimentos de fonte vegetal, como algas e leveduras, porém não é seguro que supram as necessidades. Sendo assim, recomenda-se o uso de suplemento, de preferência prescrito e orientado por nutricionista ou médico.

 

É importante dar atenção ao zinco, pois tem função importante em nosso sistema imunológico. Vale investir em  soja, gergelim e cereais integrais como farinha integral, gérmen de trigo, aveia e centeio. Também ao cálcio, encontrado em couve, brócolis, semente de gergelim, tofu, milho, tremoço e melado de cana.

 

Gestantes vegetarianas devem consumir suplementação de vitaminas e minerais, formulada por nutricionista de acordo com sua alimentação e estado. Durante o aleitamento, pode-se continuar com o uso do suplemento completo ou pelo menos com o de vitamina B12, ingerido pela mãe. A criança vegetariana deve ter maior atenção com a alimentação, por estar em fase de crescimento, porém as orientações são as mesmas.

 

Se a dieta vegetariana estiver balanceada e correspondendo às quantidades adequadas de proteínas e calorias, não há problema em trocar o cardápio de carne por um vegetariano. A troca pode é boa porque pessoas que optam por este tipo de dieta apresentam menor nível de colesterol no sangue, menor taxa de mortalidade por doença coronariana, menor índice de obesidade, menor incidência de alcoolismo, uma probabilidade menor para intestino preso, câncer de pulmão, diabetes e outros problemas. A dieta vegetariana bem planejada tende a oferecer um bom suprimento da maioria dos minerais e vitaminas, além de quantidades balanceadas de carboidratos, proteínas e lipídeos.

 

A troca pode ser ruim se a dieta for mal planejada e/ou muito restrita, podendo contribuir para o surgimento de deficiências nutricionais. O maior problema está em atingir a necessidade de proteína sem a inclusão de carnes. Para tal é necessário uma combinação de inúmeras fontes.

 

Deve-se ingerir pelo menos 10% do valor calórico total diário proveniente de proteínas. A base da dieta vegetariana deve ser composta por cereais e leguminosas, alimentos que têm boa quantidade de proteína e garantem esse suprimento diário.

 

Para adotar a dieta vegetariana só por uns tempos, para desintoxicar o organismo, deve-se tomar cuidado com o aporte de proteínas, se está sendo adequado ou não. Deve-se dar preferência a outros alimentos que contém proteína de alto valor biológico como o leite, ovos e derivados para não haver deficiências nutricionais, mesmo que por um curto período. Para adotar a dieta vegetariana de uma vez por todas deve-se tomar o cuidado de optar por uma dieta que permita alimentos como ovos, leite e derivados, pois os alimentos de origem animal possuem proteína de alto valor biológico, essencial para o organismo. Alimentos à base de soja são freqüentemente utilizados para substituir essas fontes. Deve-se estar atento para que as quantidades estejam suprindo as necessidades do organismo para não haver deficiências.

 

Deve-se sempre ingerir os alimentos ricos em ferro acompanhados da vitamina C.  As melhores fontes de vitamina C são as frutas como acerola, laranja, goiaba e verduras cruas. As melhores fontes vegetais de ferro são os feijões branco, carioca, lentilha, rosinha, preto, tofu,  oleaginosas como castanha de caju, avelã, amêndoa, sementes de abóbora ou gergelim, cereais como quinoa,  aveia, trigo, cevada e algumas folhas verde-escuras.

 

Os alimentos que os vegetarianos devem evitar são os mesmos que os não vegetarianos devem evitar. Evitar o excesso de laticínios, especialmente queijo amarelo, refrigerante, macarrão instantâneo, sopas de saquinho artificiais, cereais refinados, alimentos demasiadamente industrializados,  frituras e álcool. Trocar o arroz branco, o macarrão, pão, todos por sua versão integral.

 

Doces: conheça as causas da compulsão, dicas para saciar a vontade e melhor horário para consumir

O consumo excessivo de açúcar está associado a complicações de saúde como aumento de peso, aumento do triglicérides, diabetes e diarreia. O açúcar é absorvido rapidamente, e facilmente estocada em forma de gordura em nosso organismo. Algumas das causas para a compulsão por doce são as deficiências de minerais e vitaminas, longos períodos em jejum, alterações de hormônios como serotonina, cortisol e insulina. A investigação do motivo da vontade excessiva por doces auxilia muito a conduta da nutricionista, para que esta seja mais efetiva. Uma atitude primordial manter a frequência alimentar de três em três horas para manter o nível de hormônios como o cortisol e a glicemia regulados. Comer frutas, verduras e legumes variados para garantir o aporte de vitaminas e minerais importantes. Evitar o uso de adoçantes artificiais, também é importante, pois podem gerar compulsão por carboidratos. O ideal é optar por adoçantes naturais, como o stevia e sucralose. Invista em alimentos ricos em triptofano, como banana, canela, aveia, nozes, abacate tofu e lentilha, pois estes ajudam na liberação de serotonina. O melhor momento para consumir doce é após a prática de musculação, para repor o glicogênio muscular e hepático gastos, após o almoço, pois as fibras dos outros alimentos como verduras, legumes, arroz integral e feijão reduzem a velocidade da absorção do açúcar e no café da manhã, pode utilizar geléia, suco e bolo de frutas.

 

Ácido Fítico

O ácido fítico é um composto que forma complexos insolúveis, diminuindo a absorção de minerais, como ferro, zinco e cálcio, além de causar desconforto e flatulência. Logo pode contribuir para deficiência destes minerais em pessoas cuja dieta dependa de alimentos ricos em ácido fítico como fonte nutricional , como por exemplo vegetarianos (especialmente de proteína no caso dos vegetarianos)

 

O ácido fítico é encontrado principalmente na casca de sementes, grãos e leguminosas. Desta forma, em geral, a versão integral (rica em fibras insolúveis) destes alimentos tende a conter um teor maior de ácido fítico.

 

Algumas estratégias auxiliam na eliminação de parte deste composto, ajudando na digestibilidade destes grãos.

 

Para grãos  que vão à cocção (cereais integrais e leguminosas):

 

Remolho quente: coloque 3 medidas de água para 1 de grão em uma panela de pressão. Após criar pressão, desligue o fogo, espere a pressão sair e despreze a água do remolho. Adicione novamente a água (na proporção 3:1) e deixe cozinhar por vinte minutos.

 

Remolho frio: lave os grãos e deixe-os em água na proporção de 3:1 por 8-12 horas. Despreze a água e cozinhe os grãos normalmente, à gosto.

 

 

Para grãos que não irão à cocção (sementes, leguminosas)

 

Germinação de Grãos

 

  1. Escolha as sementes ou grãos, removendo todos as que estejam danificadas. Coloque de uma a três colheres de sopa de sementes num vidro e cubra com água limpa;
    2. Deixe de molho por uma noite (8 horas);
    3. Verta o vidro e um coador e despeje a água. Enxágue os grãos bem sob a torneira;
    4. Deixe os grãos sobre a peneira e o vidro, lugar sombreado e fresco. Cubra com um pano de prato para não atrair mosquitos;
    5. Regue os grãos com água pela manhã e à noite. Nos dias quentes é preciso lavar mais vezes.

As sementes de cereais germinam em 2 – 3 dias, os feijões e as lentilhas demoram 3 – 6 dias. Nessa altura podem ser consumidos.
Depois das etapas de germinação, há que se considerar as condições para o crescimento dos germinados até 5 – 10 cm, de altura, quando então podem ser colhidos os brotos.
Para tal produção, as condições de higiene e manuseio precisam ser muito rigorosas para evitar a proliferação de fungos e bactérias.

Os germinados e brotos servem para as mais diversas preparações culinárias. Podem ser consumidos crus, em sucos, saladas e sanduíches, misturados com outros legumes, refogados al dente, adicionados a molhos, sopas e de outras formas que a criatividade deixar.

 

 

Saiba o que comer na praia

 

 

Os passeios às praias aumentam com o calor, que é típico do verão. Em locais como esses nunca é demais ter atenção ao que comer, já que os alimentos ficam mais expostos à contaminação. Entre as combinações que devem ser evitadas estão: queijo coalho, cachorro quente, empadas e espetinho de carne e camarão.

As dicas da nutricionista Isabel Andrade, da Venutri são produtos de procedência confiável e, que de preferência, sejam preparados em casa. Invista nessa lista de substituições:

 

O picolé (60 calorias a unidade sabor de frutas) é a melhor opção para comer na praia em comparação com a raspadinha (150 calorias por unidade). Do ponto de vista calórico a diferença entre os dois não é tão grande, mas o picolé é industrializado e, portanto, mais seguro com relação às regulamentações e fiscalização.

 

O cachorro-quente (304 calorias) é pouco saudável em comparação ao sanduiche natural (200 calorias). Para compor o cachorro-quente usa-se um pão rico em carboidratos, além de condimentos com sódio e corante. Já o sanduíche natural usa ingredientes mais saudáveis, como alface, tomate, atum, ricota e pão integral. Se o sanduíche natural tiver queijo, salame, entre outros alimentos gordurosos, ele não será uma boa opção.

 

Tanto a salada de frutas (150 calorias a cada taça) quanto o açaí com granola (420 calorias a cada taça) são opções saudáveis, pois oferecem fibras responsáveis pela sensação de saciedade. A granola também ajuda a regular o trânsito intestinal. Na hora de comparar as calorias entre ambos, no entanto, o açaí perde para a salada. De qualquer forma, frutas só devem ser consumidas em locais de confiança. É essencial que a salada tenha sido preparada e armazenada com a refrigeração adequada.

 

O chá gelado (55 calorias em um copo de 250 ml) e a água de coco (80 calorias em um copo de 250 ml) são opções saudáveis para consumir na praia. O único problema é o que chá geralmente tem muita adição de açúcar, portanto a água de coco é a melhor opção. Além de ser rico em nutrientes, o líquido é um hidratante natural, pois tem quantidade de potássio necessária para repor os minerais após dias quentes ou realizar atividades físicas.

 

O milho (120 calorias a cada espiga) sai na frente do amendoim (300 calorias a cada colher de sopa) não só pelos valores calóricos, mas também por ser um alimento que é rico em energia e fibras, que garantem a sensação de saciedade. O ideal para não acrescentar calorias é não colocar manteiga e nem sal.

 

 

Tanto o pastel (120 calorias a cada unidade) quanto a empada (250 calorias a cada unidade) não são indicados por serem opções calóricas e gordurosas. O pastel é frito e a massa da empada é composta por muita gordura que faz mal à saúde. No entanto, se for consumir um dos dois, o ideal é preferir a empada, sempre optando pelos recheios menos gordurosos.

 

 

DICA:

  • Faça de 5 a 6 refeições por dia.
  • Frutas na sobremesa e nos lanches.
  • Coma verduras e legumes no almoço e no jantar.
  • A porção de carne deve ser do tamanho da palma da mão.
  • Troque a gordura animal por vegetal e consuma com moderação.
  • Modere nos açúcares e nos doces.
  • Diminua o sal e os alimentos ricos em sódio.
  • Consuma pelo menos 1 porção de cereal integral.
  • Coma uma porção de leguminosas por dia.
  • Beba no mínimo 2 litros de água por dia.
  • Faça pelo menos 30 minutos de atividade física todos os dias.
  • Aprecie sua refeição. Coma devagar.
  • Abuse da água de coco.
  • Consuma frutas na forma de suco natural sem açúcar ou com adoçante.
  • Faça lanches naturais com queijo branco e muita salada.

Ceia de Natal Vegana – Palmito ao Forno

Quem pensa que uma ceia vegetariana é sem graça e deixa a desejar, está enganado. Principalmente porque além de muita variedade, cor e sabor, os pratos são condizentes com a data, que celebra a vida e não a morte.

 

Então, que tal escolher seu cardápio, convidar a família e amigos e aproveitar a oportunidade para mostrar que a comida vegetariana, além de ser livre de crueldade, é muito saborosa!

 

Palmito ao Forno

Ingredientes

Para o molho:

  • 2 colheres (sopa) de óleo
  • 2 tomates maduros picados
  • 1 vidro de palmito (500 g)
  • 1/2 cebola picada
  • 1 dente de alho picado
  • 1 colher (sopa) de salsa picada
  • 1 colher (sopa) de cebolinha picada

Para o creme:

  • 200 ml de água
  • 2 colheres (sopa) de extrato de soja
  • Sal a gosto
  • 1 colher (sopa) de salsa picada
  • 1 colher (sopa) de cebolinha picada
  • 1 colher (sopa) de farinha de trigo
  • 1 caixa de creme de soja (200 g)
  • Batata palha para a última camada

Modo de Preparar
Molho:

Coloque o óleo em uma panela e refogue a cebola com o alho. Em seguida, acrescente os tomates picados e deixe refogar em fogo baixo por cerca de 15 minutos. Adicione o palmito e refogue por mais 10 minutos. Retire do fogo, coloque a salsa, a cebolinha e reserve. Se achar necessário, acrescente sal.
Creme:
Misture o extrato de soja, a farinha de trigo e a água até dissolver por completo. Leve ao fogo até engrossar. Retire e misture o creme de soja, a salsa, a cebolinha e o sal. Reserve. Em um refratário, coloque uma camada de palmito e, em seguida, uma de creme. Por último, acrescente a batata palha e leve ao forno por 20 minutos. Sirva em seguida.

 

Frutas vermelhas – conheça os benefícios

 

As frutas vermelhas são muito famosas por conterem diversos antioxidantes que ajudam na manutenção do organismo por conter alta concentração de vitamina C. O que muitos não sabem, é que seus fitonutrientes são anticancerígenos. Todas tem antocianinas, um antioxidante que retardam o crescimento de células pré-malignas e retém a formação de novos vasos sanguíneos (que podem alimentar um tumor canceroso). Quanto mais escura for a coloração do alimento, mais concentração ele tem!

 

Mirtilo- Rico em vitaminas A, B, C, K, ácido fólico), minerais (potássio, magnésio, cálcio, fósforo, ferro, manganês, açúcares, pectina, taninos e os ácidos cítrico, málico e tartárico. Além de todos esse nutrientes, o mirtilo é rico em antocianinas (flavonóides) que oferecem ao organismo benefícios como diminuição da permeabilidade e fragilidade dos vasos sangüíneos, ação antiinflamatória, antiespasmódica, antioxidante, antiviral, antibacteriana, antitumoral e  à saúde dos olhos. As antocianinas são responsáveis pela cor caracterísitica do fruto. Os frutos podem ser consumidos in natura ou após processamento por congelamento, desidratação, enlatamento ou produção de geléias ou licores, sucos, sorvetes e doces em geral. Esses dias eu comprei o mirtilo congelado (foto) e bati junto ao suco de outras frutas.

 

Framboesa- são ricas em antocianinas, substâncias com ação antioxidante e anti-inflamatória, que melhoram a circulação e previnem danos nas artérias, diminuindo o risco de doenças cardiovasculares.

Amora- contém antocianinas que são poderosos antioxidantes que ajudam a reverter os danos celulares causados pelos radicais livres. Por ser uma fruta rica em cálcio, a amora é muito eficaz no combate a osteoporose.

 

Morango- pouquíssimo calórica, rica nas vitaminas C, A, E, B5 e B6 e nos seguintes minerais: fósforo, magnésio e potássio. Esse trio é fundamental para o sistema nervoso e ainda ajuda a manter por muito tempo a saúde muscular. O morango é uma das frutas com a menor quantidade de carboidratos, e também possui bioflavonoides anticancerígenos, como a antocianina e o ácido elágico. Aliás, guarde esse nome! O ácido elágico evita danos celulares, diminuindo a ameaça de tumores principalmente no aparelho digestivo. Esse é um dos motivos para o morango ser cada vez mais associado à longevidade.

 

Cereja- contém  muitas fibras, que auxiliam no funcionamento do intestino e ajudam a aumentar a saciedade, proteínas (pouco) e carboidratos (frutose), vitaminas (A, B e C) e minerais (cálcio e ferro). Por ser rica em ácido salicílico é indicada no tratamento de doenças como reumatismo, gota, artrite e redução do ácido úrico.

 

Acerola- é rica em inúmeros nutrientes e possui boas quantidades de vitaminas A, B1 e B6, além de apresentar um dos maiores teores de vitamina C. Em sua composição encontramos também potássio, fósforo, ferro, magnésio e cálcio. A acerola também é considerada um ótimo antioxidante.

 

Melancia- A melancia é extremamente rica em água. Em torno de 90% do corpo da fruta é composto pela substância. Ótima opção para hidratar e para baixar a temperatura do corpo. No entanto, a melancia também possui nutrientes importantes como carboidratos, sais minerais, ferro, cálcio, fósforo, potássio e vitaminas do complexo A, B e C. Especialistas comprovam que a melancia é um alimento que possui poderosos agentes antioxidantes que são muito eficazes na prevenção de doenças malignas. Esses antioxidantes ajudam na limpeza de órgãos como os rins e funcionam como limpadores do estômago e intestino, ajudando na desintoxicação do organismo. Um deles licopeno, que previne e ajuda a combater vários tipos de câncer como o de próstata, estômago, pâncreas, bexiga, mama. A frutose, carboidrato responsável pelo sabor adocicado, dá um gás na energia, ajuda no funcionamento dos nervos, do cérebro, da medula óssea e dos glóbulos vermelhos.

 

Alimentos que ajudam a eliminar peso

CHIA

 

A semente de Chia é rica em em ômega 3 (óleo essencial que atua como fator antioxidante em nosso organismo), fibra, cálcio e manganês.  A semente de chia auxilia no emagrecimento pois além de causar saciedade, seu alto teor de fibras lentifica e diminui a absorção de alguns nutrientes como açucares e gorduras.

 

Feijão

 

Rico em diversos nutrientes, como carboidratos (complexos – absorção lenta), proteínas, fibras, ferro, vitaminas do complexo B, magnésio e manganês, o feijão é naturalmente pobre em gordura total e isento de gordura saturada e colesterol. Por seu altíssimo teor nutricional além de sua alta concentração de fibras, o feijão diminui a carga glicemia total da refeição, diminuindo a velocidade de absorção de açúcares, assim evitando picos de insulina sanguínea e  interferindo na transformação do açúcar em gordura corporal

 

Maçãs

 

Baixa em calorias e isenta de gordura, as maçãs são ricas em fibras auxiliam na saciedade, principalmente aquelas mais crocantes, como a fuji, pois há necessidade de ser mastigada mais vezes, fazendo  com que nosso cérebro receba mais estímulos para sinalizar a saciedade.

 

 

Aveia

 

Rico em fibras e carboidratos de absorção lenta, a aveia diminui a velocidade de absorção de outros açúcares além de “sequestrar” e levar para as fezes  um pouco de gordura e colesterol, diminuindo a quantidade absorvida

 

 

Pimenta Malagueta

 

Contém Capsaicina, composto que, após sua ingestão, estimula (via mecanismos cerebrais) um aumento no gasto energético, e maior “queima”de gordura, além de diminuir o consumo alimentar voluntário.

 

 

Pimentão

 

Possui Capsiate, composto semelhante a Capsaicina, porém sem a forte pugência da pimenta malagueta. Auxilia no aumento no gasto energético, e maior “queima”de gordura,

 

Café – rico em cafeína, composto fenolico que, em especial quando consumido antes de exercícios físicos, estimula ainda mais a oxidação (“queima”) de gordura corporal,

 

Chá verde – além de conter cafeína, as catequinas presentes no extrato de chá verde possuem propriedades que auxiliam no controle da composição corporal via aumento da oxidação de gordura e também diminuindo emulsificação e absorção de gordura dietética.

 

Banana Verde (farinha ou biomassa) – alto teor de fibras e em formato que impede ou dificulta sua digestão, este tipo de carboidrato diminui a absorção de colesterol e gordura da alimentação e diminui a velocidade de absorção e digestão de açúcares, sendo um bom aliado na rotina alimentar de diabéticos.

 

Quais as maneiras de inserir o matchá na dieta?

O matchá é feito da mesma planta que o chá verde, a CamelliaSinensis. A diferença fica na produção. O matchá é feito de forma artesanal, resultando em um pó, que deve ser misturado à água. Já o chá verde é feito por meio de infusão. Essa diferença na produção faz o matchá ser mais concentrado em clorofila, aminoácidos, flavonóides e cafeína; daí o efeito arrasador sobre o tradicional chá verde. Além disso, ele é rico em L-Teanina, o que o torna um antioxidante mais potente até que a gojiberry. Sendo assim, ele acelera mais ainda o metabolismo e ajuda na recuperação muscular. Para quem faz exercício ele é bastante benéfico, pois dá mais gás, e quem tem mais ânimo, malha mais, e queima mais. Além de ser consumido em forma de chá, o pó do matchá também pode ser consumido misturado a receitas, em forma de farinha. O ideal para que obtenha o efeito desejado é consumir de 15 a 20 gramas por dia.

Por que o matchá aumenta 25% do metabolismo corporal? Explique.

O mathcá é mais concentrado que os outros, por isso os resultados são percebidos mais rapidamente. Além de acelerar o metabolismo ele é um ótimo antioxidante, melhora a concentração e diminui a ansiedade (muitas vezes atrelada a compulsão alimentar) pois é composto de uma substância chamada L-Teanina que modula o neurotransmissor gaba, principal inibidor de nosso sistema nervoso.

Por que os resultados do matchá são percebidos mais rápido que os outros chás? Explique.
O vegetal produz mais clorofila, aminoácidos e l-teanina, que ajudam a dissolver a gordura e a eliminá-la mais rapidamente. Possui substâncias como a cafeína e as catequinas, que estimulam o metabolismo e, com isso, podem auxiliar na perda de peso.

Para quem quer emagrecer e acelerar o metabolismo, como e quando consumir o matchá? Explique.
O matchá é um pó verde pode ser utilizado para preparar o tradicional chá, ou como ingrediente de sucos, vitaminas e até mesmo em receitas de bolos integrais.

 

Modo de preparo e consumo do matchá

 

Shake de matchá

Ingredientes

Meio copo de iogurte natural
Duas colheres de sopa de mel ou açúcar mascavo
Cubos de gelo
Uma colher de chá de Matchá

Bata tudo no mix ou liquidificador.

 

Para acelerar o metabolismo
Suchá de matchá com gengibre

Ingredientes
01 colher de chá de matcha
100ml de água quente
100ml de suco de maçã fresco
01 colher de chá de gengibre ralado
Canela em pó a gosto

Modo de preparo
Esquentar a água, adicionar matchá, suco de maçã e gengibre. Bater no liquidificador, finalizar com canela em pó e servir.

Ação anti-inflamatória
Suchá de matchá com lima de persia e hortelã:

Ingredientes
150ml de água quente
1/2 lima da persia espremida
01 colher de matchá
06 folhas de hortelã

Modo de preparo
Esquentar a água, adicionar suco da lima da pérsia, matchá e hortelã. Bater tudo no liquidificador

Ação diurética
Suco de matchá com kiwi e salsão

Ingredientes
180ml de água
01 colher de sopa do talo do salsão picadinho
01 colher de chá de matchá
01 kiwi

Modo de preparo
Bater os ingredientes no liquidificador, colocar 02 cubos de gelo e servir.

 

Smoothie antioxidante
Smoothie de matchá e cacau

Ingredientes
150ml de leite de arroz
01 colher de sobremesa de creme de arroz 50ml de leite de coco
03 colheres de chá de cacau em pó
02 colheres de chá de matchá
01 colher de sopa de açúcar demerara

Modo de preparo
Bater os ingredientes no liquidificador, deixar em textura de creme e servir.

 

Bolo de banana com matchá

Ingredientes
02 xícaras de açúcar demerara
150g de farinha de arroz
30g de fécula de batata
Pitada de sal
01 colher (chá) de canela em pó
03 colheres de chá de matchá
01 colher (sopa) rasa de fermento químico
03 ovos orgânicos ou caipiras
02 bananas
02 colheres de sopa de óleo de coco

Modo de preparo
Pré-aqueça o forno a 200ºC;
Separe as gemas e faça as claras em neve. Reserve; −em um recipiente coloque o açúcar, a farinha e a fécula, pitada de sal, matchá, canela em pó e o fermento; −misture bem com uma colher. Amasse as bananas com um garfo; −acrescente as gemas e o óleo, e em seguida, as bananas −envolva bem todos os ingredientes, e, no final, acrescente as claras em neve levemente com a massa; −unte a forma com óleo de coco, despeje a massa, coloque as bananas −em rodelas e polvilhe c/ açúcar e canela; −asse por aproximadamente 40 minutos.
Obs.: opção também de assar a massa em forminhas individuais

 

Bolo Funcional de matchá com gengibre

Ingredientes:

5 ovos orgânicos

1 e 1/2 xícara de chá de açúcar ou adoçante forno e fogão

2 xícaras de chá de farinha sem glúten ou farinha de trigo

1 colher de sobremesa de fermento em pó

1/2 xícara de chá de óleo de amendoim ou óleo de coco extra virgem

1 colher de sobremesa de matchá

1 colher de chá de gengibre ralado fresco

50 gramas de amêndoas em lascas

Mel orgânico (opcional)

Modo de preparo:

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Em uma batedeira, bata os ovos com o açúcar até obter uma massa homogênea. Inclua o matchá, o gengibre e o óleo. Misture até homogeneizar a massa. Acrescente a farinha e o fermento. Unte uma forma com manteiga Ghee e farinha, leve ao forno até que o palito saia seco. Finalize com uma camada de mel na parte de cima do bolo, polvilhe com matchá e enfeite com as amêndoas em lascas.

Pressão alta

A hipertensão é uma doença que que atinge mais de 30 milhões de brasileiros. A prevenção é o melhor remédio e poder aliar uma boa alimentação junto com hábitos mais saudáveis, é a melhor saída no caso dessa doença silenciosa.

 

Uma alimentação balanceada ajuda a combater a obesidade e aumenta as chances de manter a pressão sob controle.

 

Mantenha-se ativo: os exercícios físicos regulares possuem o benefício de ajudar a manter um peso mais saudável, assim como possui um efeito direto em prevenir o aumento da pressão arterial.

 

Evite ou limite o consumo de bebida alcoólica: a pressão arterial é sensível ao álcool, principalmente em excesso. Por isso se for ingerir bebidas alcoólicas, consuma com moderação.

 

Perca peso: se você está com excesso de peso, reduzir alguns poucos quilos (4-5kg) já faz uma grande diferença.

 

Consuma alimentos ricos em potássio, cálcio e magnésio: ter uma alimentação balanceada, contendo quantidades adequadas de frutas, verduras e laticínios magros vão lhe prover este elementos.

 

Reduza o consumo de sódio, evite alimentos muito salgados, como: embutidos (linguiça, salsicha, carne seca, presunto, mortadela, salame), condimentos (“Ajinomoto”, “Arisco”, “Sazon”, caldos de carne, catchup, mostarda, molho de soja), alimentos enlatados, como palmito, pepino, ervilha, sardinha, atum, milho-verde, molho de tomate e outras conservas.

 

Para melhorar o sabor dos alimentos utilize temperos naturais, como suco de limão, vinagre, alho, cebola, ervas naturais, cebolinha, salsa, pimenta, etc.

 

Se você não tiver problema renal pode utilizar sal dietético que tem menos sódio.

 

Leia sempre o rótulo dos alimentos a serem comprados, pois podem conter sódio na sua composição, procure um produto similar com menos sódio.

 

Reduza a adição de sal de cozinha no preparo dos alimentos, não leve o saleiro para a mesa.

 

Caso você use produtos light ou diet saiba que o conteúdo de sódio de alguns destes alimentos pode ser alto. Por exemplo, os refrigerantes diet, light ou zero tem mais sódio que suas versões normais.

 

 

Invista:

 

Cereais: Aveia, farinha de centeio, farinha de rosca, pão integral, farinha de mandioca, germen de trigo

 

Proteína:  Avelã, Noz pecan

 

Verduras:Brócolis, Beterraba, couve, espinafre, Abobrinha (principalmente crua ou levemente cozida/ refogada)

 

 

Frutas: Jaca, cupuaçú, jabuticaba, graviola, banana, abacaxi, abacate

 

 

Calcio

 

Cereias: Aveia, cereais matinais para vitaminas,

 

Verduras: Caruru, couve,

 

Proteínas: Lambari, manjuba, pescada, camarão, queijo minas frescal, extrato de soja, amendoas

 

 

Potássio

Frutas: Abacate, banana, cupuacu, maracuja, romã, tamarindo

 

Proteína: Peixes em geral, amendoim (sem sal), feijao jalo cozido, feijnao rajado, farinha de soja

 

legumes e vegetais (crus ou no vapor): beterraba crua, cenoura crua,  chicória catolonha, couve, espinafre, brócolis

 

Cereais: Farinha de mandioca

 

Batatas em gerais (sem ser cozida em água)

 

Outros: chocolate meio amargo, café, água de coco, bebidas esportivas

 

 

O potássio, cálcio e magnésio são importantes moduladores na resposta pressórica ao sódio. O potássio é o principal cátion intracelular, e sua ingestão adequada (4,7 g/dia) contribui para a manutenção dos níveis normais da pressão arterial (PA), reduzindo os efeitos adversos do consumo de sal, diminui o risco de litíase renal e, provavelmente, da perda de massa óssea. Dietas ricas em potássio podem exercer prevenir e auxiliar no tratamento da hipertensão arterial.

 

O papel do cálcio por si só é controverso com relação ao controle de pressnao arterial e/ou doenças cardiovasculares, . Estudos tem demonstrado que A suplementação de cálcio, em homens, aumenta o risco de doença cardiovasculares.

 

 

O magnésio é um mineral com funções importantes no organismo e é importante que seus níveis estejam adequados. Possui efeito antiarrítmico, atua no tônus vascular, na contratilidade, no metabolismo da glicose e na homeostase da insulina. Além disso, menores concentrações de magnésio estão associadas a estresse oxidativo, estado pró-inflamatório, disfunção endotelial, agregação plaquetária, resistência à insulina e hiperglicemia. Os resultados conflitantes dos estudos que avaliaram os efeitos de suplementos de magnésio sobre a pressão arterial e outros desfechos cardiovasculares intermediários indicam que a ação do magnésio no sistema vascular está presente, mas ainda não estabelecida.

 

A recomendação atual para os hipertensos é uma reorientação alimentar para uma dieta rica desses minerais, não sendo indicada reposição medicamentosa (AU)

 

 

Maiores erros:

 

Sedentarismo,

 

alto consumo de alimentos industrializados em geral (confeitarias, enlatados, biscoitos, alimentos light e diet em excesso, congelados, molhos prontos, sucos artificiais ou em pós/ de caixinha, margarina e manteiga requeijão etc.

 

alto consumo de comidas rápidas e menos contato com os alimentos em natura,

 

Altissímo consumo de carnes (em especial vermelhas),

 

Alto consumo de produtos embutidos e defumados (presuntos, peito de peru, mortadela, salsisha, linguiça, queijos amarelos, etc.)