Poluentes químicos e fertilidade


Você sabia que há essa relação? Uma nova pesquisa, publicada em Março de 2019 pela Universidade de Nottingham, sugere que os contaminantes ambientais encontrados em casa e na dieta têm os mesmos efeitos adversos sobre a fertilidade masculina em humanos e em cães domésticos.


Este estudo ocorreu devido à emergente preocupação com o declínio da fertilidade masculina nos últimos anos. Estudos demonstram que nos últimos 80 anos houve uma redução de cerca de 50% na qualidade dos espermatozoides. Estudos anteriores, também feitos pela universidade de Nottingham, demonstraram que a qualidade do esperma em cães domésticos diminuiu acentuadamente, o que levantou a questão envolvente em torno dos produtos químicos modernos usados em ambiente doméstico.


Esta pesquisa relatada foi publicada na Scientific Reports e baseou-se no estudo de dois produtos químicos específicos feitos pelo homem: o plastificante comum DEHP (muito verificado em carpetes, pisos, estofos, roupas, fios, brinquedos) e o bifenilo policlorado industrial 153 que embora proibido a nível mundial, permanece amplamente detetável no ambiente (incluindo alimentos).


Os experimentos efetuados foram idênticos quer na espécie canina quer na espécie humana: foram usadas amostras de esperma de elementos de ambas as espécies residentes na mesma região do Reino Unido e os resultados demonstraram que as substâncias químicas, em concentrações relevantes, têm o mesmo efeito prejudicial nos espermatozoides tanto do homem como do cão.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo