AS FARINHAS MAIS NUTRITIVAS

 Saiba quais são as melhores opções para substituir a farinha de trigo e por que você deve fazer essa escolha saudável no seu dia a dia

Mesmo que você não seja intolerante à proteína do trigo (glúten), seria bom não consumi-la todos os dias. O glúten é uma espécie de ‘cola’ que dá elasticidade a receitas de pães , massas, bolos e biscoitos. Porém, quando ele é ingerido, essa ‘cola’ gruda no intestino dificultando a absorção de nutrientes . Quem não é intolerante ao glúten e não consultou um médico ou um nutricionista, não deve retirá-lo da dieta. Mas, claro, diminuir seu consumo não faz mal porque assim dá-se espaço para outras farinhas mais nutritivas. A farinha de quinua, por exemplo, tem mais proteína e mais fibras do que a de trigo.

MÃO NA MASSA

Para obter mesma consistência que a farinha de trigo proporciona às receitas, é preciso misturar mais de um tipo de farinha sem glúten. Isso porque não existe uma única farinha sem glúten que substitua o sabor e a consistência que a farinha de trigo proporciona às receitas. A substituição varia em função do item a ser produzido, já que as farinhas sem glúten têm sabor, densidade e texturas muito diferentes. Além de misturar mais de um tipo de farinha, em algumas preparações sem glúten é necessário acrescentar gomas, como a goma xantana, ou ágar ágar (que você encontra em empórios de produtos naturais) ou sementes moídas, como linhaça ou chia hidratadas.

Contém glúten

Trigo e seus derivados, como farinha, farelo e gérmen de trigo, centeio, cevada, aveia e seu farelo, malte, farinha de rosca, trigo de quibe. Isso significa que, consequentemente, o glúten também aparece em alimentos bem conhecidos de todo mundo. Por exemplo, qualquer receita feita com farinha de trigo refinada ou integral, como pães, tortas, salgadinhos, pizza e macarrão, contém glúten, Além delas, quibes, quibes fritos ou assados, molho shoyo, amendoim japonês (por causa da casquinha que envolve a oleaginosa) e até em uísque e cerveja.

Não contem glúten

Amido de milho: confere às preparações uma consistência gelatinosa e delicada, sendo, por isso, ideal para cremes e mingaus.

Farinha de amaranto: combina com bolos de chocolate, cookies e pães escuros. Para acrescentar mais qualidade aos assados, substitua 10 a 20% da farinha comum em receitas por farinha de amaranto.

Farinha de araruta: de sabor neutro, pode ser usada no preparo de mingaus, bolos e biscoitos.

Farinha de arroz branco: pode entrar na mistura para a massa de pão ou em outras preparações. É de fácil e rápida digestão.

Farinha de arroz integral: mais pesada do que a farinha de arroz branco, é rica em sais minerais, carboidratos, proteínas e fibras. É obtida pela moagem dos grãos de arroz integral e, por isso, é possível notar a sua textura um pouco granulada. Para que ela não deixe um aspecto meio granulado na receita, use-a misturada com um pouco de fécula de batata ou de farinha de tapioca.

Farinha de banana verde: em conjunto com outra farinha sem glúten e em pequenas quantidades, pode ser usada no preparo de panquecas, pães, bolos, vitaminas, mingaus.

Farinhas de frutos secos, como coco, ou farinhas de castanhas, como nozes, castanha – de – caju, castanha – do – Brasil, amendoim sem casca, avelã e pistache: ricas em proteínas, vitaminas, lipídios, carboidratos e sais minerais, elas podem ser usadas no preparo de doces, bolos e pães. Agrega sabor e maciez.

Farinha de lentilha: de fácil digestão, ela deixa textura suave e pode ser misturada com farinha de outros cereais, como arroz e milho branco, no preparo de panquecas, crepes e até bolos.

Farinha de milho branco: com baixo teor de gordura, menos calorias e com sabor suave, ela pode ser utilizada em pratos salgados e doces, como cremes, bolos e tortas.

Farinha de painço: combina bem com a farinha de soja. Tem sabor ligeiramente adocicado, muito parecido com o da farinha de sorgo e da farinha de milho. Por isso, é possível diminuir um pouquinho a quantidade de açúcar da receita, caso deseje substituir a farinha de trigo pela farinha de painço. Nos pães e bolos, ela deixa uma aparência mais crocante. O painço é rico em proteínas e é um dos grãos com maior facilidade para digestão.

Farinha de quinoa: muito nutritiva, a quinoa tem mais proteínas, mais fibras e menos calorias do que o trigo e ela pode ser usada para fazer bolos, cookies, pães e biscoitos.

Outras opções de farinha sem glúten são: farinha de soja, de sorgo, de trigo sarraceno, polvilho azedo ou doce, farinha de tapioca, de batata e fubá.